Home / EXPLORED HISTORY / Quando você se sentir otário, lembre-se de Teutoburgo
Roman troops fight germanic barbarians during the Battle of Teutoburg Forest, 9 BCE.

Quando você se sentir otário, lembre-se de Teutoburgo

Roman troops fight germanic barbarians during the Battle of Teutoburg Forest, 9 BCE.

Prelúdio

Em 4 DC o General (e depois Imperador) romano Tibério havia subjugado as tribos germânicas nas regiões ao norte do Rio Weser e ao sul da Floresta de Teutoburgo. Dessa maneira, assegurando a força romana na área. Na época, cerca de 10 legiões romanas (e suas auxilias) defendiam a área. Entretanto, no ano 6, rebeliões de bárbaros vieram à tona na região na região dos Balcãs, forçando Tibério a tomar 7 legiões e levá-las naquela direção.

O novo Praetor (espécie de governador/administrador) da região, então, seria Publius Quinctilius Varus, nobre conhecido em todo o império por sua ferocidade contra insurgentes. Temido pela plebe, respeitado no senado.

 

Arminius

Arminius, ou no germânico, Hermann, foi um tenente de auxilia ligado a Varus na época de sua estadia como Praetor. Nascido como bárbaro, Arminius foi mantido cativo em Roma, onde recebeu treinamento e educação militar, assim como adquirindo cidadania romana. Posteriormente viria a se tornar um nobre de menor escalão na hierarquia romana. Durante rebeliões nos anos anteriores, Arminius ganhou comando de um destacamento relevante de auxilia ligeira, provando seu valor como comandante militar, assim ganhando a confiança de Varus.

Com 25 anos, Arminius convenceu Quinctilius Varus a mover suas três legiões (as únicas estacionadas na região) para destruir supostas rebeliões bárbaras nas regiões nortes na atual Alemanha.

Secretamente Arminius vinha planejando expulsar os invasores romanos da região. Carregando grande ressentimento de seu sequestro por Roma, o jovem ansiava para ver sua terra natal livre do jugo latino. Sozinho o jovem conseguira unir as tribos dos Cherusci, Marsi, Chatti, Bructeri, Chauci e Sicambri, convencendo-os a unir forças para a batalha.

 

A Batalha

Mesmo aconselhado sobre a suposta traição de Arminius, Varus moveu suas tropas em direção a floresta de Teutoburgo. Uma região úmida e lamacenta, de floresta densa e neblina alta. Varus, confiando em seu tenente, posicionou suas três legiões, seis auxilias e três alaes em formação de marcha, em linha, minimizando suas forças combativas e marchou para dentro da floresta.

A linha de marcha romana, segundo o historiador Tácito, alcançava entre 15 e 20 quilômetros. Durante a marcha uma tempestade irrompeu, fazendo com que as cordas dos arcos romanos ficaram impossíveis de serem puxadas, por estarem molhadas; e seus escudos feitos de madeira se tornaram pesados pela água também.

Arminius esperou que seus exércitos pudessem cercar completamente os romanos, e assim o fez. O jovem tenente, entendendo de táticas romanas, conseguiu fazer manobras para quebrar as formações de seus inimigos.

Tentando um avanço, os romanos conseguiram construir um acampamento fortificado para a noite. Na manhã que se sucedeu, os latinos conseguiram ultrapassar a linha germânica, sob duras baixas. Entretanto, foram levados a uma outra armadilha armada por Arminius. A estrada continuava por um caminho estreito, cercado por pântanos e areia fofa, onde os romanos não podiam marchar. Á frente se encontravam trincheiras armadas por Arminius, de aproximados 90 metros de comprimento, aos seus lados haviam pequenos muros feitos de terra, dos quais os bárbaros podiam atacar os romanos atrás de cobertura.

As tropas de Varus tentaram um último ataque desesperado, na esperança de ultrapassar o muro, mas falharam. Varus, vendo seu fracasso, cometeu suicídio.

 

Consequências

Até hoje são discutidas as consequências da Batalha de Teutoburgo. Historiadores a chamam de “a maior derrota já sofrida pelo Império Romano”. De fato o Império Romano nunca mais faria tentativas de conquistar permanentemente as regiões da Magna Germania. Nos anos seguintes, expedições punitivas romanas foram enviadas à região. Arminius seria derrotado duas vezes durante estas expedições. As três águias dos estandartes romanos das legiões derrotadas em Teutoburgo, capturados pelos germânicos, seriam igualmente retomados e levados a Roma.

Sem estabelecer seu jugo sob a Magna Germania, as tribos bárbaras se mantiveram livres, fato que não só mudou toda a história do Império Romano, assim como de toda a Humanidade.

About Vitor Machado

Estudante de Comunicação Social - Relações Públicas na Universidade Federal do Paraná. Amante de história e escritor de fanfic. 19 anos.

Check Also

Desmistificando a Guerra dos Farrapos

A guerra dos farrapos foi sem dúvida a mais duradoura e é a mais conhecida …