Home / EXPLORED HISTORY / Desmistificando o Exército Vermelho
Vladimir Lenin recebendo a notícia da derrota contra os poloneses na Batalha de Varsóvia. "É uma mentira do Estado Maior", ele dizia. Rússia, 1921. Colorizado artificialmente.

Desmistificando o Exército Vermelho

Tovarishchi, hoje quero falar um pouco sobre o Exército Vermelho: o exército da falecida União Soviética. Por se tratar de um país com a história um tanto quanto recente, sei que o que vai ser dito aqui pode acabar dando treta, tanto para quem olha para a história soviética com olhos de admiração quanto para quem acha lamentável o que aconteceu por lá. O fato é que, quando se trata da história militar, costuma-se enxergar exageros dos dois lados, e busco desmistificar dois equívocos importantes ao se estudar sobre o Exército Vermelho.

Mito nº1- O Exército Vermelho era mau comandado, e sua vitória se devia a imensa quantidade de soldados.

Esse talvez seja o mito mais comum ao se tratar desse assunto. Muitos, ao imaginar o exército vermelho em ação durante as campanhas da Segunda Guerra Mundial, imaginam hordas de camponeses desordenados, correndo em direção ao inimigo com o que tiver em mãos para sufocá-lo com os números.

O fato é que, de fato, o exército vermelho tinha um contingente impressionante, superando mais de um milhão de homens apenas para combater em terra. E sim, haviam problemas na cadeia de comando do exército vermelho, que muitas vezes traziam problemas mais graves na linha de combate, mas não chegavam ao ponto de transformar os contingentes soviéticos em uma horda desordenada. Depois de “consolidada” a União Soviética, o exército vermelho pôde se organizar melhor.

Não apenas o exército vermelho não era desordenado, como a sua organização ao fim da segunda guerra mundial era tanta que tornou possível a execução da Operação Tempestade de Agosto: a maior operação de armas combinadas na história, executada contra os japoneses durante a Batalha da Manchúria, na Segunda Guerra Mundial. Operações de armas combinadas exigem perfeita sincronia de todos os comandantes envolvidos, uma logística muito bem organizada e forte disciplina da tropa. A Operação Tempestade de Agosto envolveu um contingente de mais de um milhão de homens, e foi um exemplo de eficiência por parte do exército vermelho, expulsando definitivamente os japoneses da Manchúria e capturando mais de 500 mil soldados japoneses.

Além disso, ao contrário do que se costuma imaginar, na segunda guerra mundial o exército vermelho não lutava simplesmente “jogando” suas tropas contra o inimigo. Na prática a tática que eles utilizavam era a chamada Teoria do Ataque profundo: uma estratégia parecida com a blitzkrieg alemã, que, aos falantes da língua inglesa, é muito bem explicada em vídeo clicando aqui.

Mito nº 2- O exército vermelho era invencível

Qualquer um que já tenha parado pra estudar a história militar soviética sabe que o exército vermelho não chegava nem perto de ser invencível, mas infelizmente não é isso que prevalece no imaginário popular graças ao desempenho soviético na Segunda Guerra Mundial.

O exército vermelho, assim como qualquer outro grande exército, tinha um grande histórico de vitórias, mas também de derrotas. Tentarei listar algumas aqui:

1- A Guerra Polaco-Soviética: foi uma guerra travada de 1919 até 1921. Buscando expandir a “revolução do proletariado”, e atender as ambições territoriais soviéticas, Lenin ordenou um ataque a recém-liberta Polônia. Os soviéticos avançaram rapidamente para dentro do país, mas foram rechaçados em Varsóvia. Após essa derrota, os poloneses expulsaram os soviéticos de seu território e Lenin aceitou pôr um fim na guerra.

2- A Guerra de Inverno: nos primeiros anos da segunda guerra mundial, Stalin iniciou uma série de campanhas contra seus vizinhos no mar báltico, até que chegou a vez de atacar a Finlândia. A campanha contra os finlandeses foi um fracasso, pois o terreno pantanoso na fronteira impedia a passagem de veículos pesados, além dos finlandeses contarem com generais mais habilidosos e uma cadeia de comando mais eficiente.

3- Guerra dos Afeganistão: visando dar apoio ao partido comunista afegão, que havia assumido o poder por meio de um golpe militar, a União Soviética enviou tropas para lutar na guerra civil afegã. A dificuldade em combater as guerrilhas Mujahidins (facção conservadora do afeganistão, com apoio das nações ocidentais) levou os soviéticos a derrota. O regime comunista se manteve por mais alguns anos no Afeganistão, mas gradualmente perdendo força.

O que podemos concluir disso é que, ao contrário do que diz o imaginário popular, não, não era impossível derrotar o exército vermelho. Assim como qualquer outro exército no mundo, o exército soviético contava com algumas vantagens que pouquíssimos exércitos no mundo poderiam usufruir, assim como falhas graves que geravam sérios problemas. Jamais existiu na história um único exército que pudesse ser chamado de “invencível”, e o Exército Vermelho não foge dessa regra.

About Lucas Mayon

Estudante de Direito em Brasília, criador da página.

Check Also

Um mundo romano continuado por bárbaros

A queda do império romano em 476 d.c marca historicamente o fim da idade antiga …