Home / EXPLORED HISTORY / Desmistificando o Reino da Prússia

Desmistificando o Reino da Prússia

Hoje falaremos um pouco da Prússia: o reino alemão responsável pela unificação do país. Um reino de enorme prestígio em seu tempo; que em dois séculos conseguiu alterar por completo a balança de poder na Europa e desafiou suas principais potências; participando ativamente das campanhas contra Napoleão e estando entre os principais responsáveis pelo declínio dos Habsburgos.

Justamente graças ao seu enorme prestígio e uma história retratada de forma épica; com estrategistas revolucionários na guerra e políticos sagazes na diplomacia; que costumamos retratar a história desse extinto país com vários achismos e exageros. Justamente por isso, vamos começar pelo:

Mito nº 1- A Prússia saiu vitoriosa em todas as suas campanhas: mesmo tendo uma história marcada por diversos feitos militares impressionantes, como a vitória contra os austríacos na Batalha de Mollwitz; a história militar prussiana não está isenta de derrotas. Um bom exemplo disso foi na Primeira Guerra dos Ducados: uma guerra travada entre a Prússia e a Dinamarca pelos ducados de Schleswig e Holstein.

A guerra foi um fiasco para os prussianos pois, além da inferioridade naval; que permitiu aos dinamarqueses bloquear as rotas comerciais prussianas no Báltico; a Prússia não contou com muito apoio internacional nessa guerra, sendo forçada a deixar a ideia de anexar os dois ducados para mais tarde. Ironicamente, armaram um grupo de revolucionários nacionalistas para continuar lutando por lá; mas eles foram rechaçados e muitos deles fugiram para o Brasil (detalhes clicando aqui).

A campanha de Napoleão na Prússia também foi outra derrota notável; pois o principal responsável pelo sucesso francês foi o orgulho prussiano: os oficiais negligenciaram a modernização de suas táticas graças ao sucesso na Guerra dos Sete Anos, cerca de cinquenta anos antes da ascensão de Napoleão. Isso já nos leva ao:

Mito nº 2- O exército prussiano sempre contou com equipamento e disciplina superior ao de seus inimigos: se tem algo que foi característico do exército alemão desde essa época, era sua capacidade de inovar seu equipamento. Na primeira guerra mundial; não demoraram para criar suas próprias versões dos blindados criados pelos ingleses. Na segunda guerra mundial, desenvolveram diversos modelos de caças e blindados ao longo do conflito.

Já é de se esperar que esse hábito não fosse diferente na Prússia; tirando um pequeno detalhe: os prussianos eram cheios de orgulho. E disso, vieram alguns problemas em seus equipamentos. Alguns exemplos disso são o problema de fardamento no exército de Frederico II; cujas fardas eram feitas às pressas, e acabavam ficando apertadas demais no corpo dos seus soldados; que muitas vezes eram confundidos com desertores ao tirar partes do uniforme em batalha.

Outro problema grave no equipamento militar prussiano era a sua extrema falta de cuidado com seu poderio naval: sempre negligenciado; um hábito que se repetiu durante o 2º Reich e trouxe problemas graves para o fornecimento de suprimentos para o exército alemão na Primeira Guerra Mundial.

A disciplina prussiana também teve seus altos e baixos. No século XVIII, por exemplo, as reformas de Frederico Guilherme I no código de disciplina da infantaria alemã trouxeram excelentes resultados: as penas rigorosas à indisciplina elevaram e muito o desempenho de sua infantaria, que passou a ter o dobro do desempenho da infantaria dos demais países. Já a cavalaria desse período, era ridiculamente indisciplinada. Frederico II chega a falar em seus manuais que herdou uma excelente infantaria de seu pai; mas sua cavalaria era tão ridícula que só faltava os soldados vestirem seus cavalos com fitas coloridas.

Mito nº 3: A Prússia sempre teve más relações com a Áustria: de fato a Prússia e a Áustria tiveram momentos difíceis em sua relação diplomática; mas esse conflito não se devia a uma questão cultural ou a uma rivalidade dinástica; e sim ao fato dos dois reinos terem tido, em boa parte da sua história, projetos de país opostos. Fora isso; nunca faltou vontade dos dois países para negociar a paz em seus conflitos; e os dois até mesmo cooperaram nas campanhas contra Napoleão e nas primeiras campanhas pela unificação alemã. Outro momento notável de cooperação entre os dois países foi nas guerras que levaram à anexação da República das Duas Nações (atuais Polônia, Lituânia e Belarus).

O único momento em que se pode dizer que a rivalidade entre as duas nações chegou a atingir o âmbito cultural foi nos últimos anos antes da unificação alemã, e pelo mesmo motivo: a Prússia tinha um projeto de país em que ela seria a potência responsável pela unificação; enquanto que a Áustria queria esse projeto para si. Tanto que, poucas décadas após a unificação, os dois países se tornaram grandes aliados; vindo a lutar lado a lado na Primeira Guerra Mundial.

Enfim, a história da Prússia sempre chama a atenção de qualquer um que se interesse pela história da Europa. Esse país foi o lar de grandes políticos, como Frederico II e Otto von Bismarck e sua história militar cheia de feitos inimagináveis, como uma vitória diante de uma coalizão formada por quase todas as potências europeias na Guerra dos Sete Anos (conflito que pretendo abordar mais tarde) ou a própria unificação alemã.

Mas como sempre, devemos tomar cuidado com os exageros e estereótipos. A Prússia, assim como todos os demais países da história, não era uma nação perfeita; e muito menos suas forças armadas. Defeitos existem em todas as partes do mundo, e a Prússia não estava isenta disso.

About Lucas Mayon

Estudante de Direito em Brasília, criador da página.

Check Also

Desmistificando a Guerra dos Farrapos

A guerra dos farrapos foi sem dúvida a mais duradoura e é a mais conhecida …

One comment

  1. Gosto muito de ler as matérias, mas essa daqui pecou um pouquinho na revisão ortográfica. O conteúdo é muito bom, mas fica a dica. Se desejar, posso ajudá-los. Só entrar em contato! Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *